Rotina! Essa coisa chata!

Atualizado: 16 de nov.


Se você já tirou alguns dias de férias para viajar e ir à praia, montanha ou interior, certamente experimentou a sensação de finalizar esse período e voltar para sua casa com uma sensação de vazio. Falaremos disso até o final deste artigo.


Há quem também tenha aquela dificuldade com a tal da retomada - da alimentação, do ritmo de trabalho, dos estudos, da tão temida (que rufem os tambores)... rotina. Ela mesma.


Essa vilã que te faz repetir as mesmas coisas todos os dias: acordar, bater ponto no trabalho, produzir, dispersar, talvez um exercício físico ou um happy hour com os amigos (pra quebrar a rotina, vai! Afinal, a gente merece! - contém ironia), voltar pra casa, dormir e fazer tudo de novo amanhã.


Toda uma geração assustada com a música de abertura do Fantástico que, sem nem pedir licença, entrava pelos nossos ouvidos anunciando o fim de mais um domingo e o início de mais uma semana.

Lá vamos nós fazer tudo de novo e, ainda, talvez até com algum trabalho atrasado para entregar ou o lembrete de que você não comprou a cartolina pro trabalho da segunda-feira. De fato, desesperador.


Acontece que agora estamos mais velhos, a vinheta do Fantástico mudou e você precisa mudar também. E, muitas vezes, mudar e amadurecer representa deixar de ser teimoso e aceitar as coisas como elas são.


A construção do que quer que seja precisa de repetição, quer você goste disso ou não.

Precisamos da chatice de fazer a mesma coisa todos os dias o máximo possível. Precisamos de rotina. O seu cérebro gosta disso - e é exatamente isso que você deve ter em mente quando ficar tentando buscar variedade no seu dia a dia a todo o custo.



Pense no seu corpo como uma orquestra que precisa estar bem ensaiada. ''Cada sistema deve tocar sua parte corretamente e no tempo exato, ou haverá barulho e caos'', como afirma Jordan Peterson. É por isso que a rotina é imprescindível. Os atos diários que repetimos precisam ser compostos de hábitos estáveis e confiáveis, oferecendo certa previsibilidade. Aos atentos, o cuidado com o sono com a simples decisão de dormir e acordar todos os dias na mesma faixa de horário já faz toda a diferença (e, por favor, sem sair correndo e atrasado para o trabalho).


É só assim que você vai voltar de viagem sem toda aquela inquietude e sensação de vazio que comentamos lá no início.


A sua própria rotina, o cotidiano e o ordinário são capazes de preencher o teu coração. Um olhar atencioso à quem se ama, um trabalho bem executado, um bom foco nos estudos e a alegria de viver com atenção um dia após o outro.

Marco Aurélio, imperador romano e dedicado ao Estoicismo, reflete: ''As pessoas buscam retiros no campo, na costa e no monte. Tu também tens o costume de desejar tais retiros. Mas tudo isso é do mais vulgar, porque podes, no momento em que queiras, retirar-te em ti mesmo. Em nenhuma parte o homem se retira com maior tranquilidade e mais calma que em sua própria alma''.



Viajar e conhecer novas culturas pode até ser interessante, mas jamais no sentido de fugir da própria realidade. Lembre-se de que uma existência com atenção se constrói nas micro-vidas que chamamos de ''dias''. Viva bem e olhe para dentro de si através da sua própria rotina.


Laura Vargas - @lauravarrgas

253 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo